6 tendências do varejo em 2018 que você precisa conhecer - Grupo Facta | Soluções em PDV & Trade Marketing | São Paulo/SP

6 tendências do varejo em 2018 que você precisa conhecer

Desde a elaboração de novos planejamentos até a escolha de um bom parceiro para fazer trade marketing, empresas líderes no mercado têm se reinventado e utilizado novas estratégias e técnicas para se manterem relevantes, enfrentarem a recessão e superarem a crise econômica.

As notícias para o mercado, entretanto, são extremamente positivas: estudos indicam que o país passará por uma retomada do crescimento econômico a partir do ano que vem, prevendo ainda o aumento do consumo de bens e produtos que fará o Produto Interno Bruto (PIB) crescer até 1,5% nesse cenário.

Para aproveitar a boa fase, é preciso estar preparado e conhecer a fundo as novas necessidades dos clientes. Ainda não sabe o que esperar do novo ano? Saiba, a seguir, quais são as tendências do varejo em 2018!

1. O varejo cada vez mais híbrido

Reter os compradores nos pontos de venda (PDVs) tem sido cada vez mais difícil. Isso faz as lojas se empenharem cada vez mais para construir estratégias práticas para aguçar sua curiosidade e criar uma experiência de compra mais positiva.

Por essa razão, os empreendedores têm apostado na criação de ambientes que permitam apresentar produtos de diversos segmentos ao mesmo tempo. Assim, por exemplo, um supermercado que vende itens básicos para o lar também pode oferecer itens de vestuário e outras utilidades para atender ao mesmo perfil de cliente.

Implementar esse recurso pode exigir um pouco de esforço, mas é necessário para acompanhar uma tendência que já faz sucesso em todo o mundo e começa aos poucos a ganhar força no Brasil. Um bom exemplo disso pode ser observado na loja TokStok — que vende itens de decoração, cozinha, cama, banho e similares —, que vem crescendo cada vez mais em seu segmento.

2. Alinhamento de canais digitais e físicos

Não é nenhuma novidade que o perfil do consumidor atual está muito distante daquele encontrado há poucos anos no mercado: além de seletivo, ele quer se encantar pelas marcas, ser educado por elas e ainda pesquisa bastante sobre o produto antes de fechar qualquer tipo de negócio. Afinal, ele quer ter certeza de que fez uma boa opção.

O mundo digital já não se diferencia tanto assim do físico. Cada vez mais, os clientes transitam com facilidade entre eles e os diferentes canais de uma mesma marca não podem ser enxergados como concorrentes, mas, sim, como aliados.

Canais digitais e PDVs devem, portanto, estar perfeitamente alinhados. Uma pessoa pode estar no seu PDV e, ainda assim, visitar o site da organização para pesquisar outros modelos e valores de produtos ou até mesmo ir à loja física testar o produto ao vivo e só fechar a compra posteriormente pelo site.

3. Novas soluções nos PDVs

Atualmente, os PDVs estão sendo modificados para funcionar como pontos de relacionamento entre clientes e marca. A compra pode ser feita ali mesmo, ou posteriormente pela internet ou até por um revendedor. O fato é que ela será apenas uma consequência de uma experiência bem construída, que muitas vezes transforma a loja em uma espécie de showroom.

A tendência é mundial: os funcionários da Apple, por exemplo, não são treinados para fechar vendas a qualquer custo, mas para atender, tirar dúvidas sobre os produtos e criar um bom relacionamento com o público — ou seja, sendo facilitadores da experiência do consumidor.

Uma boa maneira de acompanhar essa nova realidade é parar de remunerar quem vende mais e priorizar aqueles que trazem um maior número de clientes até o PDV ou recompensar quem leva mais elogios e deixa a clientela mais satisfeita. 

4. Melhorias na experiência de compra móvel

O mercado já conhece há um bom tempo o uso massivo de smartphones e tablets para compras online. Ainda assim, porém, alguns empreendedores ignoram a importância da criação de sites responsivos e da internet em geral para a divulgação de produtos e serviços.

É natural que a equipe responsável por sites e blogs de uma organização pense primeiro em versões para desktop e apenas depois crie adaptações para que eles funcionem bem em plataformas menores. Isso é ruim, pois deixa a experiência de compra móvel bem mais demorada.

A solução traz problemas de agilidade e confiabilidade, já que os celulares muitas vezes têm poder processamento inferior a notebooks e computadores. É aí que imagens mais leves, botões de tamanho grande e a adoção de carregamento assincrônico podem ajudar.

5. Maior segurança e mais privacidade

O comércio on-line sempre teve uma grande preocupação com segurança, e busca criar mecanismos para manter os dados dos clientes seguros e evitar fraudes. Algumas tendências já disponíveis para essa modalidade de varejo, porém, diminuem a incidência dessas dificuldades e tornam a experiência mais satisfatória para o usuário.

Algumas ferramentas são essencialmente tecnológicas, como adoção de selos, banners e certificados nos sites. Outras dizem respeito às formas de pagamento admitidas, como os gateways, que fazem a ponte entre empresas, bandeiras de cartões de crédito e bancos sempre contando com o suporte de sistemas antifraudes poderosos. 

Ainda, algumas soluções de logística também despontam como tendências no varejo em 2018. Entre elas estão os investimentos para entregas expressas e a possibilidade de devolução ágil de produtos e seu respectivo reembolso. Assim, é possível que o cliente se sinta mais satisfeito e confie na marca para voltar a comprar.

6. Automação de processos ainda em alta

A utilização de softwares e programas que permitam a automatização de processos repetitivos e morosos também é uma tendência que não pode ser ignorada. Com ela, é possível evitar a ocorrência de falhas, permitir que os colaboradores se concentrem no core business da organização e fazer todos ganharem em produtividade.

Outra vantagem é a integração entre os sistemas da loja virtual e do estoque, que evita o oferecimento de produtos indisponíveis. E esse processo ainda leva à diminuição da burocracia, já que documentos e logs de atividade ficam armazenados em sistemas virtuais e podem ser acessados a qualquer momento, de qualquer lugar.

E então, já está preparado para considerar as novas tendências do varejo em 2018 para o seu PDV? Compartilhe este conteúdo em suas redes sociais! Assim, seus colegas também podem ficar em dia com as novidades do mercado e se preparar para o ano que vem!

Posted on 23 de janeiro de 2018 in Aprendizado

Compartilhar este post

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Top